Topo
Prefeitura Municipal de Quixadá
TAMANHO DA FONTE: A+ A A-
Contraste

Notícias

Nota: Blog Monólitos Post tem como essência de sua conduta a falta de caráter no fazer comunicação

Em matéria publicada em 11 de janeiro de 2018, com o título, “Prefeitura de Quixadá pretende gastar quase 700 mil reais em “aluguel” de câmeras para algumas escolas”, o blog local tenta mais uma vez, de forma vil e ardilosa, criar uma sensação na população de que existe algum tipo de erro ou mal feito nas ações da administração municipal. Mesmo sem adesão, interação ou audiência às mentiras e bobagens publicadas por este blog, considerando sua total falta de credibilidade, cabe a prefeitura de Quixadá deixar a população ciente de suas ações e que estas estão alinhadas com a austeridade, boa forma de fazer gestão, e acima de tudo o cuidado e zelo com a população.

A política de segurança eletrônica foi uma das ações apresentadas como proposta de campanha do prefeito Ilário, ainda em 2016 e que virou referência, tendo o governo do estado se apropriado da proposta e incorporado como ação governamental. Quixadá já foi inclusive contemplada com a iniciativa. Temos 08 câmeras instaladas em pontos estratégicos da cidade.

No âmbito do município foram feitos vários estudos e a partir de um planejamento que garante o uso racional e responsável dos poucos recursos existentes, se decidiu programar a implementação da segurança eletrônica em etapas. A primeira seria nos equipamentos públicos, iniciando pelas escolas e estruturas da secretaria da educação.

Essa política de segurança tem dois objetivos específicos. Garantir o aprimoramento da segurança através da tecnologia e otimizar recursos públicos.

É ou não mais inteligente garantir que através de várias câmeras e de profissionais em uma central seja feita a vigilância de um equipamento público, sendo possível identificar “delinquentes” e a partir deste instrumento direcionar as imagens de forma ágil aos órgãos de segurança, sem comprometer a vida e segurança de nossos servidores? Claro que é mais inteligente e prioriza o bem estar de nossa gente.

Considerando que não haverá mais contratações de vigias e os que hoje já fazem parte do quadro da prefeitura devem ser redirecionados para horários mais compatíveis com a demanda da rotina do município, é condicionante que se consolide uma política mais eficiente de segurança dos equipamentos públicos.

Com relação aos números apresentados de forma equivocada por aqueles que ainda vivem o rancor da derrota das últimas eleições e se entristecem por todas as coisas boas que estão acontecendo em nosso município, é preciso ser mais honesto com as informações.

Realizar a locação dos equipamentos de vigilância é muito mais eficiente e inteligente do que comprar. Estamos falando de câmeras, alarmes, softwares, tudo conectado com uma central. Com a locação, todos os serviços de manutenção e afins são garantidos pela empresa contratada. Na perspectiva da comparação com um possível profissional de vigilância, que custa aos cofres públicos R$ 1.813,80 (mil oitocentos e treze reais e oitenta centavos) por mês, o que em um ano representa R$ 21.765,60 (vinte e um mil, setecentos e sessenta e cinco reais e sessenta centavos), se usarmos como referência a hipótese proposta pelo ex-prefeito, aliado dos donos da rádio, que estimou, sem planejamento, a contratação de 130 vagas para vigias, em quatro anos, o gasto com estes profissionais seria de R$ 11.318,112,00 (onze milhões, trezentos e dezoito mil, cento e doze reais). Em quatro anos a segurança eletrônica custará aos cofres públicos R$ 2.800,00 (dois milhões e oitocentos mil) mais de oito milhões a menos.

No que diz respeito ao processo licitatório, não existe interferência da prefeitura em quem participa, ganha ou deixa de ganhar licitação. O processo é transparente, sério e este mesmo blog já teve a oportunidade de participar de um dos certames e verificou a lisura com que os profissionais desenvolvem este trabalho.

Em mais uma tentativa pela busca do bom senso, esperamos que os donos deste tabloide eletrônico melhorem a forma de fazer comunicação. Entendam que o processo eleitoral encerrou e estruturar sua forma de comunicar na mentira e no rancor é um desserviço à população quixadanese.

 

Gostou? Compartilhe:

Acesso Rápido

Final de página